i'm gabu

Fuller House

| |


 Sabe a nostalgia? Aquele sentimento que vem nos perseguindo nos últimos anos com tantos remakes, reboots, remasterizações e seja lá o que mais. Se está tão presente no meio cinematográfico, não demoraria para chegar as tvs, nesse caso a netflix. Fuller House a continuação de Full House (lembrado por nós como 3 é demais) anunciado ano passado já está entre nós e está dividindo opiniões. Leia a minha nesse post e deixe a sua nos comentários.





Nome Original: Fuller House
Estreia: 26 - 02 - 2016
Pais de Origem: Estados Unidos
Nº de Episódios: 13
Elenco: Candance Cameron, Jodie Sweetin, Andrea Barber,
Michael Campion, Elias Harger, Soni Nicole...

  A série começa com uma reunião de despedida da familia Tanner, Joey já está trabalhando em Las Vegas, Michelle vive em New York, Stephanie é dj em Londres, Jesse é um produtor musical e Danny e Becky aceitaram serem apresentadores de um programa em Los Angeles.

  D.J. que agora é uma veterinária e ficou viúva é a única a ficar em São Francisco onde terá trabalho para criar sozinha seus três filhos: Jackon, Max e o bebê Tommy, ao saberem disso todos resolvem ficar para ajuda-la mas são dispensados, ficando apenas Stephanie e Kimmy Gibler que se muda para a casa dos Tanners com sua filha Ramona para ajudar a amiga.

  A partir dai a história se desenrola com acontecimentos engraçados envolvendo essa nova família e outros personagens decorrentes.



  A netflix é uma caixinha de surpresas que está sabendo evoluir com suas séries próprias e embarcar no sucesso de criações antigas com seu catálogo extenso, e Fuller House acabou sendo isso (se é bom ou ruim depende de cada um)

  Enquanto nos anos 80/90 Full House se destacou por ser uma série de família sem a presença de uma mãe e com 3 meninas sendo criadas por 3 rapazes, Fuller House inverteu os papéis, sendo agora 3 moças criando 3 meninos e a 1 menina. A fórmula foi seguida a risca: gêmeos interpretando um bebê, o/a líder da família sendo um exemplo de compreensão e bondade, um personagem cômico, um personagem bonito (e músico) e um cachorro, não vamos esquecer do pet.

  Aqui é o ponto onde opiniões se divergem, o enredo. Uns estão reclamando da série por ter um enredo fraco e bobinho, com piadas clichês e ultrapassadas. Outros gostaram da série ser como é por seguir os moldes da original e entregar humor dos anos 90 em uma série atual, sou do time que gostou.

  Não tem como ver os primeiros episódios sem sentir aquela sensação de que conhece a série a anos, daquele mesmo jeitinho que está sendo mostrada, 20 anos se passaram desde o final de Full House e parece que estamos acompanhado semanalmente até aquele momento. O motivo de pensarmos nisso é que a série acaba mostrando um acontecimento que começa e acaba em um único episódio, o que era extremamente comum antigamente mas hoje em dia já nos acostumamos com acontecimentos contínuos. E também focar muito em acontecimentos passados dos personagens para reviver a nostalgia, o que acabou prejudicando o desenvolvimento deles naquele momento, o que pra mim foi um ponto positivo e negativo.
  
  Outro ponto negativo é restringir os personagens em seus próprios dramas. A Kimmy por exemplo mal interage com os filhos da D.J. na série inteira, sua história se limitou entre a sua filha Ramona, seu futuro ex-marido Fernando e as irmãs Tanner. Ramona também, a série toda só interagiu com os irmãos Tanner e os pais. Se era pra criar uma série com uma familia grande dividindo a mesma casa deveriam haver mais interações entre todos os moradores.



  Não posso esquecer de todas as indiretas que fizeram para as irmãs Olsen que não voltaram para interpretar a Michele e as zoações que eles fizeram sobre reencontros de elenco. A piada que mais ri foi no episódio do aniversário da Ramona, eles saem para comprar uma roupa para ela e voltam com um vestido "Elizabeth e James, de Mary Kate e Ashley Olsen" ai a Kimmy olha os recibos e comenta "Com esses preços não é a toa que não precisam mais atuar". Simplesmente rachei de rir.

  Adoro ver um novo tipo de família sendo representado em uma série para o publico em geral, claro que temos outros exemplos de diversidade como em Mom ou Modern Family, mas aqui vemos duas mães solteiras resolvidas e independentes e uma adulta que ainda não sabe qual rumo tomar na vida, mostrando mais variações do ser humano e que uma família não se resume em homem, mulher e filhos.

  Quem gostava de ver 3 é demais nas tardes do SBT com certeza vai amar Fuller House que traz todo o ritmo de humor da série antiga para o novo público, mas quem não assistia e quer dar uma chance, saiba que o humor é clichê e cheio de bordões que só os mais saudosistas irão entender. Mas não espere que teremos todos os personagens originais em cena, Danny, Joey, Jesse e Becky aparecem recorrentemente em um episódio ou outro, não são personagens regulares.

Opiniões apresentadas e post concluído, se você já assistiu comente o que achou e quais foram os pontos fortes e fracos. Encerro por aqui com a regravação da música tema da sére chamada Everywhere You Look, agora na voz da Carly Rae Jepsen.
 Ahh não posso esquecer de avisar que já foi renovada para uma segunda temporada. 



Nenhum comentário, seja o primeiro

Postar um comentário