i'm gabu

Fanfic: Arqueiro vs Arqueiro - Competição em Gotham

| |

  Passei tanto tempo com a internet ruim, que acabei ganhando mais tempo para acabar de ler O Resgate do Tigre, que já entrou lá pro top 3 de melhores leituras. Também fiquei criando coisas no PhotoShop e criando um layout para o meu outro blog o Chá & CupCake. Fora isso eu só dormi mesmo.
  Mas no começo do mês, eu estava vagando no YouTube assistindo videos dos canais que sou escrito, e por coincidência achei um vídeo de um canal chamado NerdCetera, era tipo uma resenha entre o Arqueiro Verde (Liga da Justiça) e o Gavião Arqueiro (Vingadores), perguntando qual venceria em uma luta, só que também rolou tipo uma competição de textos, então criei o meu e vim compartilhar com vocês. Pelo menos eu gostei, quero saber de mais opiniões.



  Essa história se passa quando o Arqueiro Verde (Oliver) perdeu seu dinheiro e está ajudando os pobres, no velho estilo Robin Hood. O Gavião Arqueiro (Clint) acabou de se casar com a Harpia e está entorpecido nessa paixão. Preferi fazer uma batalha entre os personagens descaracterizados de heróis, para criar uma narrativa mais diferente. Espero que aproveitem, e me desculpem os possíveis erros.

Arqueiro x Arqueiro - Competição em Gotham

Arqueiro Verde


  - Senhor Ollie, senhor Ollie, veja o desenho que eu fiz do senhor - Uma pequena menina com os cabelos soltos e bagunçados estendia uma folha com rabiscos de giz quase indecifráveis. Ela estava feliz, e isso era o que bastava para que Oliver se sentisse feliz também.
  - Que lindo Cat, o que eu estou fazendo aqui? - Ele apontou para o que mais se parecia com uma pessoa.
  - O senhor está me levando no braço, e aqui atrás está o nosso orfanato, só que todo arrumado e bonito, como eu sempre sonhei. Talvez se o orfanato ficar mais bonito alguém venha me adotar. - A vozinha de esperança de Cat sempre mexeu com Oliver.
  Todas as noites Oliver se veste de Arqueiro Verde e sai para enfrentar bandidos e traficantes, as vezes consegue um bom dinheiro, o bastante para conseguir ajudar o antigo orfanato perto dos subúrbios de Washington, um lugar pouco habitável para as crianças tão meigas que viviam lá. O Orfanato Green Forest, fica perto de uma área de baixa renda, habitada por todo tipo de bandidos, gangues e traficantes, todas as crianças de lá podem ter vindo de prostitutas ou filhos de bandidos e usuárias de drogas, mas aquele antigo casarão era melhor do que qualquer outro lugar na rua onde poderiam viver. A prefeitura quase não ajudava o lugar, e quando ajudavam eram com as poucas doações que sobravam, e as velhas cuidadoras são as únicas pessoas que se preocupavam com o bem dos menores.
  - Eu não poderei arrumar o orfanato minha querida, me desculpe. - Lhe cortava o coração tirar o sonho de uma menina tão inocente - Mas posso te carregar no braço. - E sem aviso puxou ela do chão de surpresa e saíu correndo com Cat nos braços, todos nas maiores gargalhadas, todas as crianças saíram correndo atrás esperando a sua vez.
  Naquela mesma noite o Arqueiro Verde estava fazendo sua patrulha, sentado no topo de um prédio esperava para ver algo estranho, mas mesmo enquanto permanecia vestido de herói, não esquecia os pequenos rostos famintos das crianças, naquele mesmo momento o som alto de televisão de um apartamento perto emitia o jornal daquela noite, e uma notícia chamou sua atenção.

  "E neste mês as industrias Wayne, em Gotham, irão celebrar uma calorosa disputa de arco e flechas para inaugurar o novo parque ecológico. O campeão sairá de lá com 100 mil doláres de prêmio, aposto que todos os arqueiros do país estão interessados nessa gordo recompensa. Agora vamos ao tempo..."


Gavião Arqueiro

  - Aaaarrrr, estou ficando enferrujado - Clint Barton o Gavião Arqueiro se espreguiçava na base Oeste dos Vingadores, depois de uma longa missão de reconhecimento e prisão de um mafioso - Você viu querida? Quase joguei a flecha explosiva ao invés da paralisante, bem... ninguém reclamaria de uma chefe da mafia a menos.
  - Você devia estar muito ocupado me observando - Retrucou Harpia - Pensa que eu não te vi olhando para o minhas pernas enquanto fazia piruetas? - Ela dizia provocante enquanto trocava as botas, alisando as próprias pernas.
  - É melhor olhar para você do que para aqueles gordos de paletó. - Ele guardava as luvas - Essas férias estão vindo em bom tempo. Para onde iremos dessa vez?
  - Escolhi Gotham, você precisa se divertir um pouco e estou sabendo que lá acontecerá um torneio de arco de flechas, com um um prêmio bem gordinho, o bastante para podermos ir para outro país. - Ela se aproximou o bastante do ouvido dele para que possa entender o recado melhor.
  - Não será justo com os outros competidores, mas vamos lá.

Em Gotham City, dia do Torneio

  Oliver se ajeitava em um canto com a pequena Cat.
  Na entrada Clint estava se inscrevendo, enquanto Harpia estava do seu lado.
  Perto das 10 da manhã o torneio tem inicio, o apresentador avisa onde os mais de 50 participantes poderiam pegar um arco e uma aljava de flechas, já que era proibido levarem seus próprios materiais. Oliver e Clint se esparram e desejam sorte um ao outro, sem saberem suas reais identidades.
  A primeira rodada dos 30 metros eliminou todos os 23 participantes inexperientes, a segunda rodada de 50 metros eliminou 9 pessoas, a terceira rodada de 70 metros eliminou os últimos 15 participantes, sobrando apenas 3, Oliver, Clint e uma garota chamada Winter. A quarta rodada de 90 metros não eliminou ninguém, pelo contrário, deste a primeira rodada nenhum deles acertou outro lugar à não ser o centro do alvo. Oliver já estava ficando com medo de não poder levar o dinheiro para o orfanato, mas os gritos da torcida de Cat lhe animavam, o mesmo ocorria com Clint ao ouvir a belo grito da Harpia. Quem venceria aquele torneio?
  Chegou a rodada de 150 metros e até ali ninguém havia perdido, mas o torneio deve de ser adiado, pois uma forte tempestade de ventos de verão havia começado e pelo que parece se estenderia até a noite, e pelo contrato, o prêmio só poderia ser levado por uma pessoa.
  Naquela noite Oliver foi com Cat dormir em um pequeno hotel barato, depois de terem brincado um pouco a menina foi dormir enquanto ele observava as ruas da chuvosa Gotham pela janela. Sentia-se estranho por esta noite não estar vestido de Arqueiro Verde, mas estava feliz por ter uma chance de ajudar o orfanato, claro que tudo seria mais fácil se ele ainda tivesse o dinheiro de sua empresa, mas não poderia esperar até recuperar tudo, se é que um dia veria todo aquele dinheiro novamente.
  Perto da Meia-Noite quando a chuva se tornou garoa, Oliver pode ver algo escuro se movimentando no telhado do prédio a frente, ele tampou seu rosto com o capuz do moletom verde e cobriu Cat de um jeito que parecia que a menina não estava ali. Mas ao se virar novamente ao telhado nada havia lá, poucos segundos se passaram em total silencio, até que CRASH, o vidro do quarto se quebra contra o corpo do intruso de está invadindo o quarto. Sem tempo de reagir, Oliver sai porta á fora, tudo para não envolver Cat naquilo. Ele espera para ver se o intruso está o seguindo, e quando tem certeza que sim pula os lances de escada em um ritmo constante, para que o perseguidor saiba para onde ele está indo. Antes de chegar na saída ele percebe que existe outra pessoa o esperando, mas é menos e mais esquia, e o rabo de cavalo lateral lhe vez lembrar que quela pessoa poderia ser Winter, a outra competidora do torneio. Ele poderia pedir ajuda para ela, mas antes percebeu que ela carregava uma aljava de flechas, e o arco já estava em sua mão, carregada e pronta para atirar.
  Ele parou imediatamente, e aproveitando que ela estava de costas, iria lhe deter e tomar sua arma, tomou impulso na escada e se jogou sobre a garota. No último momento Winter percebeu e se virou para atirar, mas a falta de tempo fez com que a flecha passasse de raspão sobre ombro de Oliver, rasgando uma parte de sua roupa e cortando sua pele pouco profundamente, mas o bastante para lhe tirar sangue.
  Aquele foi o momento perfeito, Oliver aproveitou seu treinamento e sobrevivência na mata, e com um deslizar rápido e preciso prendeu seus braços entre o pescoço de Winter, e pôs pressão o suficiente para desmaiá-la, enquanto ele colocava o corpo no chão e retirava o arco e a aljava, pode sentir um forte cheiro de plantas doces vindo da menina, não seria um perfume ou uma droga, perecia uma mistura de remédios caseiros. Ele não teria tempo para decifrar o que era, pois os passos na escada se tornavam mais altos, Oliver se escondeu atrás do balcão, junto com o corpo do recepcionista também desmaiado. Esperando o momento de ver o seu perseguidor.
  Clint parou no começo da escada, vendo sua parceira desmaiada e desarmada no chão. A habilidade de sua caça era maior do que ele imaginava, que tipo de pessoa saberia fazer isso? Claro que Clint não poderia ficar parado ali, sua caça poderia estar lhe esperando para a tocaia, ao se virar novamente para a escada percebeu uma flecha fincada mais acima, seguiu o sangue que estava no chão e percebeu que a caça estaria ferida e próxima, já que o sino da porta não foi tocado
  Oliver se sentiu entocado e sem saída, qualquer movimento lhe daria a informação de sua localização, mas se esperasse mais um pouco seria achado de qualquer jeito. Só lhe restava enfrentar o sujeito, armou o arco com uma flecha e com a outra mão segurou uma garrafa de uísque embaixo do balcão e jogou contra a escada. No mesmo momento que ouviu o vidro se quebrar, uma flecha passou por cima do balcão e acertou o porta chaves. Oliver aproveitou o momento e se levantou para atingir o atacante, enquanto corria para a saída atirou a flecha mas o atacante desviou e já se armava com outra flecha.
  PLIMMMM
  O sino da entrada tocou um casal jovem se encontrava na porta, todos no recinto pararam suas ações e pareciam estatuas de cera se encarando com rápidos e constrangidos olhares, Oliver aproveitou a oportunidade e saiu por entre o casal, torcendo para que o atacante não atirasse contra todos eles. Ganhando a rua, correu em direção ao beco, sabendo que ali haveria escadas de incêndios e poderia subir para o topo dos prédios, pelo menos estava mais acostumado lá no topo. Enquanto subia ouvia o atacante saindo do hotel, e entrando no beco, ali um não poderia atingir o outro pois as escadas eram cobertas por telas de arame, e as flechas não eram nada especiais, pelo contrário, eram as flechas mais básicas e baratas possíveis. Ambos foram subindo e subindo, Oliver chegou primeiro ao topo e passou para outro prédio, por uma tábua esquecida ali, ao chegar a salvo do outro lado ele derrubou a tábua e esperou que o atacante chagasse.
  - Cadê a Harpia? - Gritou Clint do outro prédio, armando duas flechas e atirando contra Oliver
  - Não sem de quem você está falando seu drogado - Respondeu Oliver depois de esquivar de uma flecha e parar a outra com uma flecha sua. - Porque você e aquela garota estão me atacando? Se for por causa do prêmio do torneio eu poderei desistir e deixar par a vocês, só me deixem em paz. - Sua escolha foi pensando em Cat, já que se for por ele, teria prazer em acabar com isso agora, mas não estava armado com suas flechas especiais e poderia acabar machucando o homem com essas flechas velhas.
  - Como você não sabe? Não minta para mim. - A voz de Clint estava alterada - Eu desci para pegar bebidas e quando voltei minha mulher não estava mais no quarto, Winter me encontrou e me contou que viu você levando ela para essas bandas.
  A garoa não parava, ambos já estavam encharcados, isso atrapalhava muito a visão. Um vento forte bateu sobre os prédio, levantando os capuzes de ambos os homens, Clint e Oliver se encararam, um com olhos selvagens, outro com um olhar defensivo. O vento levou o cheiro de Clint até o nariz de Oliver, era o mesmo cheiro de plantas doces que ele sentiu em Winter, agora sua mente havia clareado, e se lembrou que esse cheiro é pertencente há uma planta alucinógena, encontrada dificilmente nas matas tropicais. Nunca foi usada como droga, e sua venda é cara, mas ela é base de remédios industriais para tratar de distúrbios neurológicos e insônia. O efeito passaria deveria passar em breve, mas enquanto isso, o que será que ele podia fazer para não se machucar ou ferir Clint? Deveriam continuar com aquela perseguição até que Clint fosse capturado e o efeito fosse embora. Que assim seja, só precisamos sair desse prédio.
  - Talvez ela esteja comigo, mas você só saberá se me pegar. - Oliver insinuou e correu por entre os prédios com Clint ao seu encalço, ele corria sempre por lugares onde Clint não poderia acertá-lo. Depois de um tempo de corrida chegaram em um canteiro de obras. Onde se via as barras de metal que sustentariam o prédio, aquele seria um ótimo lugar para armar uma armadilha.
  Oliver subiu passou por entre uma barra e aterrizou no esqueleto do prédio, Clint já percebeu o que o aguardava e de longe mesmo atirou uma flecha. Oliver ainda estava se equilibrando nas barras molhadas e quase não teve tempo de desviar da flecha que se encravou lateralmente na sua aljava de flechas, quase chegando a atravessar o couro e acertar sua pele. Ele deveria pegar mais distancia, acarrou uma corda que segurava uma das barras suspensas, cortou com a flecha, e enquanto a barra descia, ele subia. O estrondo da barra no chão deve ter acordado toda a vizinhança, mais um motivo para que aquela luta terminasse logo.
  Enquanto Clint escalava por uma corrente, Olive planejava o que fazer.
  Em pouco tempo um Clint estressado e alterado surgiu na mesma barra que Olive e lhe soltou mais perguntas estranhas que ele não saberia verdadeiramente responder.
  - Diga-me agora onde está a Harpia e eu deixarei você viver - Clint atirou uma flecha que passou há centímetros do rosto de Oliver - Me diga agora, senão a próxima flecha ficará encaixada no meio da sua testa.
  - Pois bem, veremos quem acerta quem. - Oliver armou seu arco e saberia, que naquele ou seu plano funcionaria e ele viveria, ou morreria em outra cidade deixando Cat mais uma vez sozinha.
  Os dois arqueiros prepararam suas flechas e miraram para seu oponente. Será que eles sabiam que Arqueiro Verde e Gavião Arqueiro estavam um mirando no outro? Que esse momento chegaria em uma cidade completamente diferente, onde outro herói vivia? Ali estaria a resposta de tudo, sem ao menos uma pergunta ser respondida.
  Clint atirou primeiro, mas Oliver já havia planejado isso, se jogou de cima da estrutura, com a flecha atingindo sua coxa em cheio. Sua flecha que mirava a cabeça de Clint passou direto. Clint sabia que havia vencido e por isso não preparou sua próxima flecha, sabendo que seu adversário cairia no chão e morreria ali. CLACK. Um balde cheio de ferramentas havia acertado a cabeça de Clint, fazendo-o cair da estrutura e perder os sentidos momentaneamente, soltando o arco.
  Os dois arqueiros se viram e morreriam no mesmo lugar, se não fosse uma rede de proteção armada abaixo dele. Oliver com a coxa sangrando se aproximou aos poucos de Clint.
  - Mas como isso foi possível? - Perguntou um Clint aturdido.
  - Eu mirei na corda que prendia uma balde de ferramentas, se você não se movesse acertaria sua cabeça. E por sorte você não se mexeu. - Respondeu Oliver
  - Mas onde está a Harpia? - Clint estava com um corte na parte de trás da cabeça e já estava fraco para continuar a batalha.
  - Não sei quem é essa tal Harpia, mas poderei te ajudar a encontrar ela, só saiba que eu não sou seu inimigo. - Oliver estendeu a mão para ajudar Clint a se levantar. - Anda, precisamos sair daqui antes a polícia chegue.
  - O.K.

Na manhã seguinte apenas Oliver apareceu no torneio. Winter foi achada pela policia em um beco do lado do hotel e Clint estava com dor de cabeça e aturdido, não conseguiria mirar em mais nada naquele dia.

  "Noticias: Nessa madrugada Batman prendeu Hera Venenosa, a vilão está sendo foi detida enquanto criava injeções de uma droga alucinógena, a policia encontrou sua nova cúmplice denominada Winter em um beco. Ela confessou que foi paga para injetar a tal droga em pessoas da região central de Gotham e observar os efeitos. Testemunhas dizem que Batman encontrou uma refém loira no local. Mas nada foi confirmado pela policia."

  Oliver desligou a tv e guardou o chegue de 100 mil dólares na mochila, pegou a mão de Cat e partiram rumo ao orfanato.

Um comentário, comente também!

  1. Gostei bastante do texto. Eu prefiro o Gavião Arqueiro. Acho o Arqueiro Verde bem chatinho. rs

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista

    ResponderExcluir